Herpes

O que é herpes?

herpes é uma doença sexualmente transmissível causada pelo vírus herpes Simplex (tipo I e tipo II). O herpes é transmitido de pessoa para pessoa, através do contato direto da pele durante o ato sexual (oral, anal e vaginal). O herpes pode ser oral e/ou genital. A maioria dos casos de herpes oral é causada pelo tipo I, enquanto a maior parte dos casos de herpes genital é causada pelo tipo II. No entanto, uma vez que muitas pessoas praticam sexo oral, o tipo I está aparecendo cada vez mais nos órgãos genitais. A infecção por herpes é diferente de outras infecções virais comuns, uma vez que o vírus pode permanecer no organismo para sempre, podendo ou não apresentar sintomas. Estes costumam se apresentar em forma de pequenas bolhas ou ferida, que podem apresentar ardência, dor, formigamento.  

 

Quantas pessoas têm herpes?

Não há dados precisos quanto ao número de pessoas que tem herpes, uma vez que não é uma DST de notificação compulsória e muitas pessoas têm herpes e nem sabem.  

 

Por que se preocupar com herpes?

O herpes genital em si não é uma infecção grave ou perigosa, embora possa causar desconforto psicológico devido à natureza das feridas e ao tempo em que o vírus permanece no organismo. A ferida do herpes tem um papel importante na transmissão do HIV. Uma pessoa com uma ferida decorrente de herpes tem de três a cinco vezes mais chances de contrair o HIV se for exposta ao vírus com um parceiro sexual HIV+ (positivo). Além disso, as pessoas com HIV e herpes têm uma maior quantidade do vírus HIV nas feridas abertas, o que aumenta o risco de transmissão de ambas as doenças a um (a) parceiro (a) durante as relações sexuais desprotegidas. Mulheres grávidas que têm um primeiro episódio de herpes genital próximo ao parto podem transmitir herpes para o bebê, o que pode se tornar um sério problema, e inclusive levar a morte. Felizmente, a infecção de crianças é rara entre as mulheres com herpes genital recorrente.

 

Quais são os sintomas?

Muitas pessoas têm herpes genital, mas não sabem que tem o vírus, uma vez que não apresenta sintomas. Outras têm sintomas muito leves. Para as pessoas que são sintomáticas, a primeira ocorrência geralmente é o pior. Ele dura mais tempo, é mais grave e, geralmente, causa muito desconforto. As bolhinhas iniciais formam pequenas feridas e podem durar de 5 a 10 dias, formam crostas sobre a pele e depois desaparecerem. Além de bolhas ou feridas abertas, uma pessoa pode ficar com os gânglios inchados, febre e dores no corpo. As mulheres tendem a ter sintomas mais graves do que os homens. Reincidências genitais após a primeira ocorrência parecem estar ligadas ao estresse, fadiga, falta de sono, menstruação e fricção genital (novo parceiro sexual depois de um tempo sem sexo), embora mais pesquisas sejam necessárias neste campo. Normalmente as recorrências são frequentes no primeiro ano após o surto inicial. Algumas pessoas têm formigamento ou coceira no local das feridas antes delas aparecerem, o que pode ajudá-las a se preparar para uma próxima crise. Por vezes, as recaídas podem ser tão leves que são confundidas com uma infecção fúngica comum, ardência/irritação após barbear, picadas de insetos, pelos encravados e assim por diante.

 

Como funciona um teste de herpes?

Na maioria dos casos, os médicos podem diagnosticar herpes inicial por meio de sua aparência.

 

Como o herpes é tratado?

Não há cura para o herpes. No entanto, existem medicamentos antivirais disponíveis para o tratamento do herpes. O uso da medicação correta no tratamento da herpes genital pode ajudar a acelerar o processo de cicatrização e reduzir a frequência de futuras crises.

 

O que posso fazer se já tenho herpes?

Para diminuir o intervalo entre as crises, alimente-se bem, faça exercícios regularmente, reduza o estresse e descanse o suficiente. Aprenda a reconhecer os sintomas que aparecem no período imediatamente anterior ao surgimento das lesões. Neste período, algumas pessoas descrevem uma sensação de formigamento ou queimação no local. Tomar medicamentos antes de uma crise pode interrompê-lo ou reduzir sua duração. Para evitar a transmissão do vírus aos seus parceiros, converse com eles sobre seu diagnóstico. Converse com seu médico, ele pode dar dicas de como abordar o tema com seu parceiro.

 

O que posso fazer para evitar herpes?

Preservativos fornecem proteção, mas ela não é completa quando se trata de herpes. O vírus pode estar em uma área em que o preservativo não cobre. Se você ou seu (sua) parceiro (a) tem o vírus, o melhor é abster-se de relações sexuais durante uma crise de herpes. Converse com seu parceiro (a)